Entrada para raros

sexta-feira, dezembro 11, 2009 2 comentários


A sensorialiadade como parte da percepção da realidade, alternando-se entre fantasia e cotidiano, é a senha para a entrada no universo do Teatro Mágico. Cheios de motivo para celebrar, a Companhia musical e circense do Teatro Mágico completa seis anos de aventuras, malabarismos e engajamento social.

Num sábado qualquer de 2005, zapeando esperançosa por uma opção legal, fiquei empolgada com a performance de um cara com o rosto pintado declamando poesia no Programa do Raul Gil. Toda aquela manifestação cultural, que misturava versos, música, circo e teatro, salvou a minha tarde. Desde então, acompanho o sarau amplificado do TM. Na junção desses elementos, o grupo já lançou dois álbuns: “O Teatro Mágico para Raros” e “O Teatro Mágico: Segundo Ato”.

As letras com um perfil contestador questionam os modelos impostos, trabalhando em prol da cidadania e dando voz aos vários discursos vulneráveis socialmente. Esse diálogo atinge o público com diferente perfis e características. Há também canções para embalar o coração e curtir uma paixão: “Ah, só enquanto eu respirar vou me lembrar de você”. De qualquer maneira, a poesia prevalece!

O que se perde enquanto os olhos piscam? Com essa indagação, cerca de 400 pessoas acompanharam a gravação da primeira versão da música que tem a pergunta como título, ao vivo pela internet. A composição coletiva e interativa já é uma das mais baixadas.

Música rara em liquidação – A favor do livre compartilhamento de arquivos musicais na internet, o Teatro Mágico lidera o movimento Música Para Baixar (MPB). Como bem definiu a Folha de São Paulo, a trupe está cada vez mais longe da mídia e perto do público. Participe do Sarau: picadeirodoTM

Senhoras e senhores, respeitável público, em tempos onde o sentir é banalizado em relação ao pensar... é cada vez mais rara essa entrada!

(2) Comments

  1. Príscila Gama "Tuka" On 11 de dezembro de 2009 23:25

    Espetáculo que eu vi, ouvi e sonhei!

     
    Jota On 12 de dezembro de 2009 19:57

    Eu acho esse povo tão estrnaho