Da arte de levar topada

terça-feira, novembro 24, 2009 1 comentários

Vivo levando topada... todos os dedinhos dos pés direito e esquerdo já foram contemplados. Vira e mexe machuco a canela, perco uma unha, aparece um roxo depois de bater o quadril no móvel. Adivinhem o motivo? Choque involuntário com um obstáculo, que como o nome já diz, é um impedimento do homem/ mulher de ir e vir ileso, sem nenhum arranhão.

E não me diga que é distração! Por mais que calcule-visualize-imagine a dimensão dos espaços, parece inevitável... o meu corpo vai de encontro àquele cantinho. Na mesinha de centro (que sempre esteve ali, parada, estática), na calçada, na porta, seja lá onde for, há um jeito pra eu me arrebentar. E nessa hora, o grito é insuficiente. A dor fina, aguda, toma conta de mim. Não há racionalidade! Então, misturam-se dor, estupidez e raiva. Aiii, #*%¨!!!

1 Comment

  1. Vanusa Babaçu On 10 de dezembro de 2009 06:44

    Oxente,

    Fui que descrevi isso pra você? Pensei que eu era a mortal especialista obter de graça aquelas machas roxas que passam uma semana pra começar a desaparecer!
    OH, Alda por experiência própria eu sei exatamente o que dizes!

    Xerão